STATUS

PANDEMIA GLOBAL

5.840.369

CASOS CONFIRMADOS

438.238

O Brasil inteiro já tem transmissão comunitária, ou seja, já não é mais possível identificar a trajetória de infecção do vírus, e atualmente possui casos em todas as suas federações.

 

SOBRE

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias, geralmente leves a moderadas, semelhantes a uma gripe. A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus

comuns ao longo da vida.


A pandemia que vivemos hoje é provocada por um tipo específico de coronavírus (SARS-CoV-2),

que causa a doença chamada COVID-19. O nome da doença é uma sigla que significa COrona VIrus Disease (Doença do Coronavírus), enquanto “19” se refere ao ano de 2019, quando os primeiros casos foram divulgados publicamente.

 

O novo coronavírus foi descoberto em dezembro de 2019, após os primeiros casos registrados em Wuhan, na China.

A transmissão costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:  

Gotículas de saliva;
 

Espirro, tosse e catarro;


Contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;


Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Período médio de incubação:

 

Geralmente 5 a 7 dias, podendo chegar a 14, o período em que os primeiros sintomas levam para aparecer após a infecção.

Tratamento:


Não existe tratamento específico. É indicado repouso e hidratação, além de algumas medidas para aliviar os sintomas. Casos graves, em que há dificuldade de respirar, necessitam de internação e cuidados médicos.

Transmissão: 
 

De 7 a 14 dias após o início dos sintomas, o paciente infectado transmite o vírus. No entanto, dados sugerem que a transmissão ocorre mesmo em casos assintomáticos.

Cura:

O próprio sistema imunológico do corpo combate a infecção.

IMPORTANTE!

 O conjunto de ações abaixo tem o objetivo de conscientizar a população acerca do avanço do novo coronavírus. A propagação intensa do vírus no Brasil pode causar o colapso nas redes de atendimento para os casos mais graves, portanto, é muito importante que as medidas propostas pela OMS sejam seguidas.

COMO AGIR

Isolamento domiciliar

Permanecer em casa por 14 dias para casos confirmados, suspeitos, que apresentem síndrome gripal (febre, coriza e e sintomas respiratórios), de contato próximo com caso confirmado e viajantes que retornem ao Brasil do exterior;

Use máscara de tecido para falar com os outros, mantendo-se a uma distância mínima de 2 metros. Troque a máscara sempre que estiver úmida;

 

Não compartilhe ambientes, alimentos, roupas, talheres e roupas de cama;

Manter o ambiente limpo, arejado e ventilado, com todas as janelas abertas.

Redução de

contato social

Evitar ao máximo sair de casa, principalmente para as pessoas pertencentes ao grupo de risco: idosos, portadores de doenças crônicas, grávidas, lactantes e imunodeprimidos;

Evitar aglomerações (transporte público, restaurantes, mercados, praias e eventos ainda que privados);

No trabalho, se possível, adotar home office, reuniões virtuais e cancelar viagens não essenciais.

Higiene e etiqueta respirátória

Lavar constantemente as mãos com água e sabão por 40 a 60 segundos ou utilizar álcool em gel 70% por 20 a 30 segundos, caso não tenha acesso à água e sabão;

Limpar regularmente objetos e superfícies tocados com frequência com álcool 70% (mouse, corrimão, maçanetas, teclado). Celulares devem ser limpos com álcool isopropílico;

Não tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

Usar lenço descartável ou o antebraço quando tossir ou espirrar;

Manter distância de 2 metros de qualquer pessoa que esteja tossindo ou espirrando e usar máscara sempre que sair de casa.

 

GRUPOS DE RISCO

Algumas pessoas são mais vulneráveis a complicações do COVID-19. Esse grupo deve ter cuidado redobrado com as informações acimapois as chances de complicações são maiores. Além disso, esses grupos não devem parar seu tratamento nem sua medicação e obedecer às orientações de seus médicos.

Idosos

(com mais de

60 anos)

Crônicos

(diabéticos, hipertensos, cardíacos)

Pessoas com problemas respirátorios

(bronquite, asma, enfisema)

Pacientes oncológicos, imunodeprimidos e transplantados

Gestantes e lactantes

 

SINTOMAS

Febre;
Tosse;
Coriza;
Produção de escarro;

Dor de garganta;
Dificuldade de respirar;

Dificuldade de engolir;
Perda do olfato;
Perda do paladar;
Dor abdominal;
Diarreia;
Congestão nasal ou conjuntival;

1

+

Sintomas

leves

Febre

baixa

Tosse, coriza e congestão nasal

=

Fique em isolamento domiciliar, use medicação para alívio dos sintomas (antitérmicos e analgésicos) ou procure uma unidade de pronto atendimento hospitalar em caso de desconforto respiratório.

2

+

Sintomas

graves

Febre

alta

Dificuldade de respirar

=

Procure uma unidade hospitalar para atendimento imediato.

NÃO SE AUTOMEDIQUE!

Ainda não há comprovação científica de remédios para o tratamento do Covid-19, e existem efeitos colaterais que oferecem riscos à saúde. Se tiver sintomas leves como febre baixa e dor no corpo, utilize apenas antitérmicos e analgésicos (certifique-se de que não é alérgico à substância ativa do medicamento).

TeSTE

Já há cobertura nos planos de saúde com segmentação ambulatorial, hospitalar ou referência, mas apenas haverá indicação médica na situação 2 do quadro de sintomas.

 

No entanto, o Ministério da Saúde já está providenciando testes rápidos para facilitar e ampliar o diagnóstico. Logo, é possível que tenham mudanças nos próximos dias em relação ao protocolo de exames.

 

Consulte a sua operadora para informações sobre o local mais adequado para o exame.

 

VACINA

Infelizmente, ainda não existe vacina para o novo coronavírus. Porém, testes - já avançados - estão sendo feitos em diversas partes do mundo, e especialistas acreditam que, no melhor cenário, só teremos uma vacina pronta para ser usada após 18 meses.

 

A 3ª fase da campanha nacional de vacinação contra a gripe (influenza) inicia em 04/05 exclusivamente para: pessoas com deficiência; professores; crianças de 6 meses a menores de 6 anos; gestantes; mães no pós-parto até 45 dias e pessoas acima de 55 a 59 anos de idade. Alguns municípios estão disponibilizando a vacinação domiciliar ou em sistema de drive-thru. Importante destacar que essa vacina não protege contra o coronavírus, mas ajuda na exclusão do diagnóstico de gripe, já que os sintomas são parecidos.

DÚVIDAS FREQUENTES

Aqui, provavelmente você encontrará as suas principais dúvidas sobre o novo coronavírus:

 
 

LINKS E TELEFONES ÚTEIS

Disque Saúde - 136  

 

Ministério da Saúde - https://coronavirus.saude.gov.br/

 

Aplicativo Coronavírus - SUS do Ministério da Saúde 
(download disponível para Android e iOS)

Mapa em tempo real https://gisanddata.maps.arcgis.com/apps/opsdashboard/index.html#/bda7594740fd40299423467b48e9ecf6

 

DOWNLOADS

O Grupo Case, durante esse período, vem produzindo materiais sobre o novo coronavírus em diversos formatos com o intuito de facilitar a disseminação das informações, essenciais nesse momento de emergência da saúde pública. Importante destacar que todo o conteúdo tem validação e atualização frequente de nossa área médica qualificada. A data que consta nos materiais corresponde à última atualização validada, ou seja, após elas não ocorreram mudanças nas informações. Os arquivos estão distribuídos por assunto.

 

FONTES

Ministério da Saúde | ANS | OMS

© Copyright 2020. Grupo Case Benefícios e Seguros. Todos os direitos reservados

grupocase.com.br